sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Cave mais fundo!

Um adolescente ganhava boa parte de seu dinheiro cuidando dos jardins de seus vizinhos. Seu pai estava realmente curioso ao observar os métodos do rapaz. “Por que você espera até que eles tenham começado a cortar a grama, antes de perguntar se gostariam que você o fizesse?”
perguntou-lhe o pai.
“Aprendi a não apressar-me demais”, respondeu o filho. “Consigo a maior parte do meu trabalho aproximando-me de pessoas que já fizeram um bom pedaço”, continuou. “Quando estão pela metade, estão prontos para desistir!”
O momento em que a tarefa se torna mais difícil, e a tentação de desanimar se torna mais forte, é justamente o ponto em que o sucesso está mais próximo.
É provável que você tenha lido sobre as ricas descobertas de diamantes em Kimberley, há uns cem anos. Na esperança de enriquecerem depressa, muitos afluíram para aquela região para tentar a fortuna. Cada um demarcou sua propriedade e começou a cavar. Muitos dos que chegaram cedo conseguiram grandes fortunas. A princípio o trabalho era fácil e as pedras preciosas facilmente encontradas. Porém, depois de uns dois anos, a maior parte da camada superficial havia sido peneirada e todo o tesouro colhido. Debaixo dessa camada havia outra de uma argila azulada e dura, que resistia às mais fortes mãos ou ferramentas. Poucos foram os que pensaram ema travessar essa camada aparentemente impenetrável. Um após outro os homens foram abandonando seus campos, ou vendendo-os por bagatelas para qualquer um que fosse suficientemente tolo para comprá-los. Logo espalhou-se a notícia de que o campo de diamantes estava esgotado.
Barnett Barnato era proprietário de uma lojinha perto do campo de diamantes. Havia chegado tarde demais para adquirir um terreno daqueles. E agora seus negócios estavam declinando à medida que os homens abandonavam os campos. Decidiu então que deveria comprar um dos terrenos que estavam sendo vendidos por preço tão baixo. Um dia, enquanto tentava abrir uma brecha naquela argila dura como pedra, para ver o que havia ali debaixo, notou que alguém o observava. Era um homem que havia vindo da Inglaterra em busca de um clima mais moderado, esperando assim recuperar a saúde. O estranho observou o trabalho de Barnato por um ou dois dias e então comprou também parte do campo e começou a trabalhar.
Foi assim que Barnett Barnato e Cecil Rhodes se tornaram os proprietários de um dos mais ricos campos de diamantes do mundo. Eles uniram forças para formar o De Beers Corporation, que continua em atividade até hoje.
Numa palestra para estudantes, o presidente de uma universidade norte-americana resumiu a experiência desses dois homens nestes termos: “Quando o cavar se torna difícil, a maioria das pessoas procura uma desculpa para abandonar a tarefa. Mas é precisamente aí que a pessoa sábia cava com mais avidez e energia que nunca!”
O texto acima está nas páginas 24 a 26 do livro “O Amanhã Começa Hoje”, de Alf Lhone. Além da aplicação primária, de não desistir ou de ir até o final, não tem como não direcionar para o campo espiritual, o estudo da Bíblia. É preciso cavar. Cavar sempre. Diamantes preciosos estão à nossa disposição. Já fez isso hoje? Já leu sua Bíblia com essa disposição?

Por: Amilton Menezes

Seja o primeiro a comentar!

Postar um comentário

Seguidores

Siga-me por Email

  ©BLOG DO PAULO - Todos os direitos reservados.

Template by Vidas Digitais | Topo